minhas poesias


17/08/2005


Olha o que aprendi com meu pai

Oi!pessoal vou contar um vercinho que o meu pai encinou que diz assim

-Atirei um limão verde

-Porcima dum pe de salsa

-bateu na bunda de uma veia

-que rasgou o cordam das calsas.

Escrito por luileni às 14h58
[ ] [ envie esta mensagem ]

13/07/2005


Bruxinha

Essa bruxinha  de pano que adormece em meus braços é  filha da tradição a mais doce criação das mãos ternas das avós que costurando retalhos tecem carinhos para nós.toda menina do pampa tem bruxinha nos brinquedos pois ela guarda segredos das paraltices que faço acompanhando meus passo iluminando os meus sonhos faz um mundo mais risonho dormindo nos meus abraços.com a carinha pintada  cabelos feitos de lã o olhar de picumã inspira tanta  ternura  e além de tudo é cultura essa  menina singela  minha bruxinha tão bela...

Escrito por luileni às 15h58
[ ] [ envie esta mensagem ]

22/06/2005


Meu rio grande

Aprendi no meu colégio a mais sublime lição que o rio grande  minha terra tem forma de um coração  que somos da patia mãe nossa patria brasieira um estado progresista e sentinela da fronteira que o rio grande minha terra também tem dentro da história eróis e bravos gauchos e um passado só de gloria Bento Gonçalves,canabaro no passado e no presente Emilio garastazo médise que foi nosso presidente mas se o rio grande é tão grande aprendi nessa lição que ele cabe inteirinho dentro do meucoração.

Escrito por luileni às 15h50
[ ] [ envie esta mensagem ]

1ª competição

    Com a poesia explicando as vestes, tirei 1º lugar em um concurso chamado Encantos do Sul, esse concurso foi realizado em Catanduva. Neste dia no concurso fiquei um pouco nervosa porque era a minha primeira vez de declamar com a poesia explicando as vestes.

Escrito por luileni às 15h18
[ ] [ envie esta mensagem ]

15/06/2005


Explicando as vestes

esplicando as vestes

aqui está uma prenda quem não conhece atensão sou filha da tradisão e o meu pai é um gaucho tenho afeto pela terra sei cevar o mate amargo amo muito o meu pago e trajo com poco luxo este é o vestido rendado é pra ficar mais bonita no cabelo uso uma fita ou uma fror presa nas tranças uso botinhas de salto que é costume na querencia é pra marcar á cadencia quando danço nósas danças no mais sou toda sinples como é sinples a natureza na alma guardo a nobreza de gaucha e brasileira e se alguem gostou de mim do meu jeito assim de ser só me resta então dizer que eu ainda sou solteira mas é bom chegar com jeito pra não pechar na cansela porque eu não caio na trela desses mosos da sidade não é só pelo meu aviso como coselho é que meu pai tem um relho i é brabo barbaridade.

Escrito por luileni às 16h00
[ ] [ envie esta mensagem ]

08/06/2005


 

oi pessoal, estou criando o meu primeiro blog sobre poesias e colocações de competições poéticas.

aguardo seus recados...

Escrito por luileni às 15h31
[ ] [ envie esta mensagem ]
Busca na Web: